Banco de Alimentos busca novos parceiros para ampliar atendimento

Banco de Alimentos Municipal pretende ampliar empresas doadoras para conseguir atender um maior número de famílias. Hoje são 13 toneladas de alimentos por mês, recebidas de 23 parceiros.

Todos os dias o trabalho realizado pelo Banco de Alimentos de Rio Claro evita que toneladas de alimentos sejam desperdiçadas. Atualmente são 23 doadores e ações de divulgação e visitações estão sendo desenvolvidas pela prefeitura para ampliar este número. A estimativa é de que existam mais de 500 estabelecimentos comerciais que poderiam colaborar.

Treze mil quilos de comida que indevidamente poderiam ir parar no lixo enriquecem a mesa de mais de 1.400 famílias rio-clarenses. Na segunda-feira (20), cerca de 100 famílias no bairro Terra Nova receberam o auxílio.

“Frutas, verduras e legumes, que não podem ser aproveitados comercialmente, são doados por supermercados, varejões e pequenos produtores e destinados pelo Banco de Alimentos a famílias carentes, após passarem por triagem”, explica Érica Belomi, secretária de Assistência Social.

“Apesar de bastante significativas, as doações poderiam ser maiores, caso mais estabelecimentos contribuíssem com o banco de alimentos”, observa o prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria. O trabalho é resultado de parceria entre a Secretaria Municipal de Assistência Social e a entidade União de Amigos (Udam). “Sem o empenho da Udam não seria possível o atendimento a tantas pessoas”, ressalta Érica.

Os alimentos recebidos pelo Banco de Alimentos em boas condições para consumo passam por higienização em solução clorada, seguindo as normas de vigilância sanitária. Depois são embalados a vácuo e destinados para as organizações da Sociedade Civil cadastradas, que repassam as cestas para as famílias. Já os alimentos impróprios para consumo são destinados para ração animal e processo de compostagem, sendo depois utilizados como adubo.

Para realizar todo o processo, desde a captação dos alimentos, passando pela manipulação, até a distribuição das cestas, o Banco de Alimentos dispõe de ampla infraestrutura, que inclui caminhão, duas peruas Kombi, espaço para triagem e higienização e câmara fria para armazenamento dos alimentos.

As famílias que recebem as doações contam ainda com orientações de nutricionista e assistente social para melhor aproveitamento dos alimentos recebidos. São atendidas famílias em situação de insegurança alimentar e nutricional já inseridas em serviços socioassistenciais do município.

“Toda ajuda é bem-vinda”, destaca Clarice Bindilatti, que recebeu os alimentos na segunda-feira, assim como Nataly Marcolino. “Nesse momento de dificuldade financeira é muito bom poder contar com este auxílio”, afirma Nataly. Antes de receber os alimentos os moradores do Terra Nova puderam acompanhar palestra da delegada doutora Sueli Isler Batelochi, que abordou o tema violência doméstica.

Além das 1.400 famílias, o Banco de Alimentos atende mais 450 pessoas por meio de organizações da sociedade civil, como igrejas, pastorais da criança, casas de repouso, entidades religiosas, entre outros.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.